Archive

Posts Tagged ‘justiça’

Corpus Christi (significado).

(Google Imagens)

A festa de Corpus Christi (Corpo de Cristo) é uma das festas mais alegres para o povo católico. Por impossibilidade ética de externar toda sua alegria, na quinta-feira santa que é a Eucaristia, dia da instituição do sacerdócio e do sacrifício cristão, quando estão revivendo as dores da paixão de Jesus, a Igreja reservou a quinta-feira após o primeiro Domingo depois do Pentecostes, para esta solenidade.

O Catolicismo comemora nessa data o sacramento da última Santa Ceia celebrada por Jesus Cristo antes de sua morte na cruz do Calvário.

“E quando comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos seus discípulos, e disse: ‘Tomai, comei, isto é o meu corpo’. E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: ‘Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados’.” (Bíblia Sagrada. Mt. 26:26-28)

(Google Imagens)

CORPUS CHRISTI

 

Antes de ser na cruz sacrificado,

e pelos homens imolado,

Jesus, Nosso Senhor,

num gesto de amor,

reuniu os Apóstolos,

na última ceia.

 

A hora sagrada, solene o momento.

Jesus abriu seu coração

E leu o Testamento:

“Eu vos dou um novo Mandamento:

Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.”

 

Em seguida, o Filho de Deus

Lavou os pés dos seus.

No meio dessa humildade,

Escondia-se tanta grandeza!

A primitiva nobreza!

 

Como poderia partir

E ao mesmo tempo aqui ficar?

A Eucaristia foi a solução

Abençoou o pão e o cálice,

Deixando-nos este Sacramento,

Por seu Testamento.

 

É o memorial de sua Paixão.

Garantia da nossa ressurreição.

Com ele se renova a Aliança,

Fonte de nossa esperança

Transformou o Cenáculo

No primeiro Tabernáculo.

 

Para festejar neste momento,

da Eucaristia o grande Sacramento,

O corpo de Cristo é levado

pelas ruas, pelo povo é adorado.

O povo cristão está em festa,

Sua fé com vivas manifesta.

 

As janelas estão enfeitadas,

Com flores, praças e ruas ornadas.

Há lindos tapetes e pinturas,

Símbolos e figuras,

Obras de tantos artistas,

que merecem ser vistas.

 

Por onde passa a procissão,

Fica-se tomado pela emoção.

Jogam-se flores e batem-se palmas,

Regozijam-se os corações.

Repete-se o gesto milenar

De Israel o alegre cantar.

 

É como se fosse a entrada triunfal

De Cristo na sua capital.

De joelhos ou de pé,

À passagem de Cristo, renovamos a fé,

Agradecemos a Deus

Por este pão descido dos céus.

 Fonte: Origem das Datas Comemorativas – Mario Basacchi

Postado por: Sonia Valerio da Costa
03/06/2010

O Desequilíbrio entre o Bem e o Mal!

Atualmente, temos ouvido falar com muita frequência, sobre a necessidade de mantermos um equilíbrio interno, entre o bem e o mal; todos nós, seres humanos, encontramos dificuldades de controlar nossos impulsos. 

Esse equilíbrio proposto a nós seres humanos, no sentido de termos um auto-domínio, quanto a nossas atitudes, pode ser muito bem compreendido através das sábias palavras de um velho indígena, quando aconselhava um índio de sua tribo. Essa mensagem sobre os dois cachorros que existem dentro de nós tem sido bastante veiculada através da internet.

Essa mensagem nos transmite uma lição de moral, para que possamos sempre exercer boas ações. Indiretamente ela nos direciona a que tenhamos comportamentos adequados, para que o Bem possa estar sempre acima do mal; o equilíbrio entre essas duas forças trará consequências desastrosas. Sendo que o desequilíbrio entre os dois cachorros, nos trará a temperança, a paciência e a ponderação para tomarmos atitudes acertadas.

Assim, refletindo melhor sobre esse assunto, veio ao meu coração, que no eterno passado, quando existia apenas o Bem, o próprio Bem teve a ousadia e coragem de criar o Mal, para que, através do Mal, o Bem fosse fortalecido e cada vez mais reconhecido de que verdadeiramente, o Bem existe.

“Onde o pecado abundou, superabundou a graça”. (Romanos 5:20b). Se mantivermos um desequilíbrio interno em favor do Bem, seremos pessoas de carater sincero, onde a verdade estará sempre em nossos lábios, pensamentos e atitudes. Mas, se o nosso desequilíbrio interno for em favor do mal, nossas atitudes serão condenáveis não somente pela sociedade, mas também por Deus, que é o Bem maior e tem o controle de todas as coisas em Suas mãos.

Estamos proporcionando um desequilíbrio interno a favor de quem? Do Bem, que é a verdade, que é o próprio Deus, ou do Mal, que é a mentira e que o pai da mentira é o próprio Satanás? Pelas atitudes (frutos) é que conhecemos quem são as pessoas (árvore).

“Que diremos então? Continuaremos pecando para que a graça aumente? De maneira nenhuma! Nós, os que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele? Portanto não permitam que o pecado continue dominando os seus corpos mortais, fazendo que vocês obedeçam aos seus desejos. Não ofereçam os membros do corpo de vocês ao pecado, como instrumentos de injustiça; antes ofereçam-se a Deus, como quem voltou da morte para a vida; e ofereçam os membros do corpo de vocês a Ele, como instrumentos de justiça. Que fruto então colheram das coisas das quais agora vocês se envergonham? O fim delas é a morte! Mas agora que vocês foram libertados do pecado e se tornaram servos de Deus, o fruto que colhem leva à santidade e o seu fim é a vida eterna. Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Bíblia Sagrada, Carta aos Romanos 6: 1-2, 12-13, 21-23)

Não existe equilíbrio entre o Bem e o Mal, pois o Bem (Deus) SEMPRE prevalecerá!

Sonia Valerio da Costa
22/03/2010

O Perigo de ser uma das 99!

(Google Imagens)

Já era tradição; todos os dias,  quando voltavam das pastagens, o pastor  abria a porta do curral e conferia a entrada do seu rebanho de ovelhas. Se a contagem estivesse correta, então o Pastor iria cuidar de uma por uma; verificava se havia algum carrapicho, ferimento ou machucado. Fazia os curativos necessários e já preparava as ovelhas para o descanso da noite. No dia seguinte, acordavam com o raiar do sol e novamente saiam para as pastagens.

Às vezes acontecia do pastor colocar as ovelhas dentro do curral e, com um semblante de preocupação ficava olhando em direção à linha do horizonte; então fechava a porta do curral e voltava pelo mesmo caminho de onde haviam chegado. Algumas vezes retornava logo em seguida; outras vezes, seu retorno era demorado. Um coisa era certa, sempre voltava trazendo uma ovelha machucada em seus ombros.

As ovelhas mais adultas e que já haviam presenciado essa cena tantas vezes, começaram a se preocupar com a segurança e integridade do pastor. Mas o que elas poderiam fazer, se eram totalmente indefesas?! Além disso, o pastor sempre tinha o cuidado de trancar a porta do curral, para que elas pudessem ficar em segurança.

Numa dessas vezes que o pastor precisou retornar pelo caminho, o tempo foi passando e a noite chegou, trazendo consigo todos seus mistérios assustadores; barulhos desencontrados dos pássaros noturnos, dos animais se revolvendo sobre folhas secas, e ao longe se ouvia lobos uivando.

A noite parecia interminável, até que o dia já começava a clarear, quando perceberam que o pastor vinha retornando com mais uma ovelha sobre os ombros. Essa havia sido a primeira vez que passaram a noite sozinhas. Somente algumas conseguiram dormir um pouco; as demais começaram a conjecturar a respeito do que poderia ter acontecido com o pastor, pois nunca havia demorado tanto.

Divagando nos seus pensamentos, chegaram a pensar que o pastor não voltasse mais. Quem sabe se não teria sido atacado por algum lobo, ou mesmo ter escorregado em algum despenhadeiro e sumido para sempre.

(Google Imagens)

(Eu estava alí acompanhando em silêncio aquela cena, apenas analisando qual seria a reação daquelas ovelhas. Pude ver alí três grupos distintos. Cada ovelha procurou se aproximar do grupo que mais se aproximava de sua própria opinião.)

Um primeiro grupo formado das ovelhas mais avançadas em idade,  comentavam que nunca haviam dado trabalho para o pastor. Afirmavam que sempre tiveram bom comportamento e sempre obedeciam as ordens recebidas; por isso esbanjavam saúde e  nunca precisaram de um curativo sequer. Falavam solenemente, como se fossem donas da verdade e que, hoje em dia, as ovelhas mais jovens estavam muito abusadas e insubmissas às ordens dadas pelo pastor.

Um segundo grupo, formado por ovelhas mais jovens, apesar de terem sentido um forte medo durante a ausência do pastor, comentavam entre si, a respeito das aventuras que já haviam vivenciado. Várias delas, em outras ocasiões, também se distanciaram do grupo e acabaram se perdendo. Falavam dos medos, das dores, dos machucados que sofreram, e da emoção que sentiram quando viram o pastor se aproximando, com um semblante de amor misturado com alegria, chegando de mansinho para buscá-las.

Quanto ao terceiro grupo nem foi necessário chegar perto, pois cada uma queria falar mais alto que a outra, para que sua opinião pudesse prevalecer e ser aceita como verdade pelo grupo. Umas criticavam as ovelhas que tinham sido compradas de outro rebanho; com elas foram introzidos costumes diferentes, o que estava transtornando a cabeça das ovelhas mais jovens. Outras acusavam o próprio pastor de não tomar atitudes mais severas para com as ovelhas desobedientes.

Nesse momento, uma ovelha, aproveitando um pequeno espaço de silêncio, foi mais longe nas suas considerações, passando a criar sentimentos de indignação e revolta para com a ovelha que era trazida nos ombros do pastor; ela dizia assim: “eles já estão chegando… e podem se preparar, pois ao invés de colocá-la de castigo para aprender a lição, com certeza ele vai é promover uma festa para ela”.

Mal acabou de falar, o pastor entrou com a ovelha nos ombros; deitou-a sobre a relva e acabou de curar suas feridas. Daquela vez o pastor tivera que superar seus próprios limites, para conseguir resgatar aquela ovelha que estava semi-morta diante dele. Levantou os olhos, passou seu olhar pelas ovelhas e sentiu-as inquietas. Conhecedor do comportamento de cada uma delas, logo entendeu o que se passava em suas pequenas cabecinhas.

Daquela vez, entendeu que deveria agir de forma diferente. Chamou a mãe daquela ovelhinha e perguntou-lhe se ela havia dado falta de sua filhotinha; ela abaixou a cabeça envergonhada, pois nem havia dado falta de sua ovelhinha; até então pensava que ela estivesse com as outras amiguinhas, com as quais costumava brincar.

Então, diante daquela cena, ajoelhou-se diante do pastor e pediu-lhe perdão, dizendo que durante sua ausência, ela era a que mais havia instigado as demais ovelhas do rebanho, contra as atitudes que o pastor havia tomado até então;  que o pastor, ao invés de promover festa quando uma ovelha fosse resgatada, o certo seria dar um bom castigo. Somente assim elas aprenderiam a lição e não iriam mais desobedecer as ordens do pastor.

Aquela cena emocionou todo o rebanho, e fez com que uma a uma fosse  chegando perto do pastor para que fossem perdoadas coletivamente. Todas se sentiram culpadas por terem participado de julgamentos precipitados quanto às atitudes, tanto do pastor, quanto das ovelhas desobedientes. Quando a paz e a serenidade voltou a reinar naquele lugar, as próprias ovelhas tomaram a iniciativa de promover uma grande festa. Agora, não seria comemorado apenas o resgate de uma ovelha perdida, mas também a união que havia sido proporcionada naquele rebanho.

Daquele dia em diante todas cuidavam de todas e todas vigiavam todas; como se cada uma assumisse juntamente com o pastor, a responsabilidade de cuidar do rebanho. Foi o melhor tempo vivido por aquele rebanho pois conseguiram evitar que outras ovelhas se perdessem. E os lobos… ah!… os lobos tiveram que procurar outros rebanhos displicentes, pois se ficassem por alí, perceberam que passariam fome.

“Quando Jesus contou aos discípulos a Parábola da Ovelha Perdida, estava se referindo à vida espiritual e de nossa comunhão com Deus. Jesus se apresentou como o verdadeiro Pastor, pois Ele cuida de cada um de seus filhos, indistintamente e de forma particular, conforme a necessidade de cada um. Jesus nunca teve atitudes tendenciosas, vinculadas ao nosso comportamento. Ele veio para exercer misericórdia para conosco, e através desse tão grande amor, Ele quer que nós também nos amemos uns aos outros como Ele nos amou. Aceite a Jesus como seu Pai e também como seu Pastor; assim, como filho e também como ovelha dEle, você será participante desse amor imensurável.”

 

 

 

 

(Google Imagens)
Sonia Valerio da Costa
24/02/2010

Terremoto no Haiti: comentários

(Google Imagens)

Apenas meus comentários sobre a tragédia:

Em 15/01/2010
postado no link: http://iprodigo.com/traducoes/deus-odeia-o-haiti.html/comment-page-1#comment-360

Assim como o sol nasce tanto para os justos, quanto para os injustos, da mesma forma as acomodações geológicas continuarão provocando terremotos, maremotos e tsunamis causando desastres de diversas proporções envolvendo todos os que estiverem presentes no local.
Penso que a questão, está no egoismo do ser humano que se encontra em posição privilegiada e até recebe apoio financeiro para atingir níveis de conhecimento suficiente para se prevenirem, principalmente de terremotos e não compartilham essa tecnologia com os menos favorecidos.
A ajuda humanitária deve chegar antes que a tragédia aconteça, para que não precise ser acionada às pressas depois do acontecido.
Falta no mundo de hoje mais amor fraternal e solidário, pois o ser humano está tão cheio de egoismo, que não tendo em quem jogar a culpa de suas dissimulações, está jogando a culpa em Deus, até mesmo por medo de represálias.
Deus nos deu inteligência para sobrevivermos diante das adversidades da natureza… então porque os países menos favorecidos não estão conseguindo acesso às informações que poderiam salvá-los??
Deixo essa pergunta para reflexão…
Meu desejo é que os corações se abram para receber o amor de Deus, pois é um amor puro, não egoista e nem tendencioso. Seu amor é imensurável, incalculável, incompreensível e inexplicavel, a ponto de enviar seu próprio Filho para nos trazer a mensagem do evangelho de salvação.
Que a Paz de Jesus Cristo, o Amor de nosso Deus Pai, e as consolações do Espírito Santo, possa encontrar lugar para reinar nos nossos corações.
Amém.
Sonia.

Em 16/01/2010
postado no link: http://iprodigo.com/traducoes/deus-odeia-o-haiti.html/comment-page-1#comment-360

No meu ver, agora não seria o momento apropriado para procurar culpados ou inocentes; agora é um momento de solidariedade para com os desafortunados haitianos, lançando sobre eles o bálsamo do conforto e sendo misericordiosos como foi Jesus Cristo.
Para nós que estamos de longe e que podemos ajudar apenas com nossas orações e doações, é um momento apropriado para olharmos para dentro de nós e nos conscientizarmos que não somos nada.
Estamos num momento apropriado para repensarmos nossas atitudes para com os nossos semelhantes.
Quantas vezes temos dificuldades em nos humilhar, em pedirmos perdão a quem nos ofendeu…
quantas vezes postergamos em dar uma palavra de elogio a quem está fazendo sucesso…
quantas vezes negamos o pão aos famintos…
quantas vezes casais que “ainda” estão conseguindo dormir na mesma cama, deitam-se e dormem sem trocar uma palavra, simplesmente porque brigaram por nada e um não quer se rebaixar para o outro…
Nestas poucas frases que representam muito bem o que é a índole do ser humano, é o momento de repensarmos e buscarmos ter a mente de Jesus Cristo que foi misericordioso, que foi esbofeteado, cuspido, ultrajado, desprezado, cruxificado, açoitado… passou sede, fome, canseira, angustia, discriminação, indiferença… e no entanto não abriu a sua boca para exconjurar… Simplesmente fez uma pequena oração: “Pai, perdoa-lhes, porque eles não sabem o que fazem”!!!
Quantas vezes emitimos opiniões precipitadas apenas com a visão superficial que estamos tendo de determinada situação e já queremos emitir julgamentos… isto porque é muito trabalhoso nos aprofundar na questão para encontrar a verdade, e depois dizemos que a justiça é cega…
Nós seres humanos somos assim, eu também sou e preciso mudar….
Ouçamos, todos nós, as palavras de Jesus, quando disse aos seus discípulos: “Aquele que não tiver pecado, seja o primeiro a atirar pedras” ….

De 16 a 19/01/2010
postado no link: http://www.dihitt.com.br/noticia/deus-odeia-o-haiti/comentarios

“Deus é amor.. e o que penso é que Ele tem dado conhecimento ao homem para saber cientificamente como se prevenir dessas tragédias. O problema é que quem detém esse conhecimento, por alguma razão (não vamos aqui entrar nessa polêmica), não está se preocupando em disseminar informações necessárias para se evitar tamanha tragédia como essa, nas áreas terrestres, onde sabemos que são sempre vulneráveis a acomodações das placas tectônicas.”

“Parabéns pela sua prudência em ler o texto todo, antes de fazer qualquer comentário a favor ou contra (que foi apenas indicado por mim e NÃO é de minha autoria). No meu ver, agora não seria o momento apropriado para procurar culpados ou inocentes; agora é um momento de solidariedade para com os desafortunados haitianos, lançando sobre eles o bálsamo do conforto e sendo misericordiosos como foi Jesus Cristo.”

“Concordo que o texto está um tanto complexo, pois foi traduzido do inglês. Mas aconteceu justamente como vc comentou; os comentários foram jogando luz sobre o texto e esclarecendo pontos que estavam um tanto obscuros. Simplesmente foi uma forma diferente de oferecer solidariedade aos sobreviventes do Haiti; o texto só ficou obscuro e comprometido para os leitores que fizeram uma leitura dinâmica e já emitiram opiniões precipitadas a respeito do que o autor estava querendo transmitir.”

“No meu ver, agora não seria o momento apropriado para procurar culpados ou inocentes; agora é um momento de solidariedade para com os desafortunados haitianos, lançando sobre eles o bálsamo do conforto e sendo misericordiosos como foi Jesus Cristo.”

“Percebi que para vc, ainda não está muito clara a questão da existência de um Deus, que com todo o respeito que tenho para com Ele, se analisarmos suas atitudes precipitadamente, poderíamos pensar até mesmo, que Ele possui atitudes de um “bipolar”. Deus é Soberano e único, mas que da mesma forma que nós somos formados de corpo, alma e espírito, Deus também é trino: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo.
Eles são intrínsecos formando apenas Um Deus. As atitudes divinas que vemos registradas na Bíblia e que tem gerado tanta polêmica entre os seres humanos, principalmente quando acontecem essas tragédias sem precedentes, como no Haiti, deve ser compreendida da seguinte forma:
– Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. (Leia na Bíblia em João cap. 4 e versículo 24). Antes da vinda de Jesus, Deus (Espírito) se revelava através dos profetas, como Isaías, Jeremias, etc.; aquele tempo Deus agia apenas através de leis, que de um modo geral podemos resumir em “matou, morreu”; cada ser humano pagava seu êrro com sua própria vida.
– Jesus, que quando dizemos que é Filho de Deus, não estamos falando no sentido de ser menor do que Deus Espírito, mas porque Jesus foi a segunda manifestação de Deus: “No princípio era o Verbo, e o Verbo (Palavra) estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” (leia em João capítulo 1 e versículos 1 e 14). Jesus se encarnou para nos mostrar o lado misericordioso de Deus: “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.” (Leia em I Timóteo, capítulo 2 e versículo 5). Veja essas palavras que Jesus falou: “E, se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo: porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo.” (Leia em João capítulo 12 e versículo 47)
Concluindo, entendemos que Deus Pai é a manifestação da justiça do Deus Criador, e Deus Filho é a manifestação do amor e misericórdia do mesmo Deus Criador.
– Deus Espírito Santo pode ser entendido como o elo invisível de ligação e comunhão entre Deus e o homem. Seria como entrarmos na “frequência” do Deus Criador. Entenda como se as ondas de uma Emissora qualquer que vc queira acessar esteja passando por vc, onde quer que vc esteja; vc só irá ouví-la, se conectar-se através de um rádio, na frequência determinada pela tal Emissora. O Espírito de Deus sempre esteve conosco, seres humanos, só não tem contato com Ele quem não entra na sua “frequência” (leia: Gênesis capítulo 1 e versículo 2; Lucas capítulo 11 e versículo 13; I João capítulo 4 e versículos 2 e 3; Apocalipse capítulo 22 e versículo 17)
Para terminar, quero ainda dizer que, conversar é muito bom, trocar idéias, opiniões e conhecimento também, mas precisamos entender que somente Deus é o dono da verdade. Por isso, para escolhermos um caminho a seguir em direção a Deus, o melhor é nos aprofundarmos na palavra que Ele mesmo nos deixou; esta é a melhor forma de entrarmos na “frequencia” e na sintonia da Emissora celestial, através do Deus Espírito Santo, pois com certeza ouviremos sua voz a nos dizer: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, se não por mim.” (João capítulo 14 e versículo 6)”

“Também concordo com sua forma de pensar de que Deus nos deu recursos para a nossa sobrevivência, porém está restrito nas mãos de alguns poderosos que não querem compartilhar conhecimento.
Na Idade Média os livros eram acorrentados; hoje são as informações que são boicotadas. Lamentável!”

“Deus nos ama e não se vinga e nem age injustamente com a humanidade.
Mas o homem tem agredido a natureza e agora estamos colhendo frutos das irresponsabilidades cometidas.”

“Deus nos livra nas calamidades, adversidades e tragédias, e não das mesmas. Aí é que se manifesta o poder de Deus.”

“Deus nos deu recursos para a nossa sobrevivência, porém está restrito nas mãos de alguns poderosos que não querem compartilhar conhecimento. Na Idade Média os livros eram acorrentados; hoje são as informações que são boicotadas.”

“Deus não tem culpa nas nossas escolhas. É interessante como o homem facilmente joga a culpa em Deus, quando algo dá errado. Quando dá certo, ele quer a glória para si e ainda se acha auto-suficiente.”

“Importante este seu novo comentário, pois são essas oportunidades que temos de nos conscientizarmos a nós mesmos e nos abrirmos mais para o diálogo. Como fui eu que indiquei esta notícia, acabei sendo bastante alvejada de comentários, mas sinceramente senti prazer em responder um por um, pois essa interatividade não programada, me acrescentou muita informação, o que compensou todo o tempo que gastei, e estou gastando para ler e comentar cada pensamento e cada palavra expressada a respeito deste texto.”

“Agradeço seu comentário, mas se acalme… o ser humano é assim, pelo seu próprio egoismo, quer se justificar apontando o êrro dos outros.. O que será que esse mesmo americano que escreveu esse texto sobre o Haiti, escreveu a respeito de seu próprio povo, quando as torres gêmeas foram derrubadas por aviões suicidas…..? Deus existe sim, mas Ele é amor, é misericórdia. Ele condena o pecado, mas não condena o pecador. Todo pecado destroi o proprio corpo do homem e por fim pode corromper a alma também.
Mas veja que linda mensagem Ele nos deixou: “Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito para que todo aquele que nEle crer, não pereça, mas tenha a vida eterna.”

“Gostei da sua forma de expor seu pensamento repudiando algumas idéias que o texto sugere, onde vemos que o ser humano é bastante rápido em querer fazer julgamentos. O que será que esse mesmo americano escreveu a respeito de seu próprio povo, quando as torres gêmeas foram derrubadas por aviões suicidas…..? Eles estão fazendo julgamentos precipitados sobre as tragédias que acontecem em outras nações e não estão analizando a decadência deles próprios. É de causar indignação!!!”

“Independente de qualquer culpa, êrro, castigo, punição, incredulidade, agora não é um momento apropriado para cutucar feridas abertas que estão sangrando no coração dos sobreviventes. Recebi esse texto por e-mail e resolvi indicá-lo aqui no diHITT, justamente porque sabia que suscitaria bastante polêmica. Creio que o autor do texto já deve ter tomado conhecimento e está lhe servindo de experiência. É um texto escrito por um americano e traduzido para o português, por um brasileiro.”

“Creio que o diHITT também tem nos ensinado que a união faz a força.
Aqui estamos aprendendo (pelo menos eu estou) a reivindicar, a denunciar abusos e ofensas. Fico tranquila em perceber que tenho muitos amigos aqui, e também estamos podendo contar com o apoio da administração do site que, com certeza, para se evitar maiores constrangimentos acabou retirando tanto o comentário ofensivo, quanto minha resposta.
Como disse a “K”… vamos semear a PAZ!!!”

“K”, fique tranquila, pois já está tudo em paz!
Aconteceu um deslize ofensivo de um colega nosso, mas já está tudo sob controle. O legal do diHITT é que aqui existe uma grande diversidade de pessoas, de todos os níveis sociais, intelectuais, profissionais, religiosos e comportamentais e temos liberdade de expor nosso pensamento, de debater ou discordar pacificamente de uma idéia, como num fórum de discussão.
Estamos tendo um nível muito grande de aprendizado e, principalmente aprendendo a “ouvir” os outros, mesmo que tenham uma opinião diferente da nossa. Concordo com vc, vamos semear a Paz, mas quando aparece uma arma, mesmo que pequena, precisamos deletá-la, para que não venhamos a ser contaminados com atitudes antiéticas.”

“Este texto proporcionou uma abertura saudável de discussão de idéias e opiniões, que creio que alguns ficaram incomodados no princípio, mas agora penso que nos entendemos e aprendemos bastante com a troca de experiência e de opiniões.”

“Com suas palavras penso que este assunto já foi esgotado. Em resumo, precisamos honrar e adorar Aquele que nos criou como seres racionais e que também nos deu fôlego de vida; devemos também respeitar a natureza que também foi criada por Ele para nos oferecer subsidios para nossa sobrevivência.  Se o homem respeitasse esse equilíbrio ecológico teria evitado muitas tragédias provocadas pela natureza.”

“Creio que amadurecemos com o aprendizado de discordar sem ofender e também aprendemos tanto a ganhar, quanto a perder num forum de discussões. Ninguém é dono da verdade. Quem é que conseguiu durante a vida toda manter uma mesma opinião a respeito de determinada coisa??!!!!
Não me refiro a possibilidade de passar de um oposto a outro, mas me refiro principalmente às acomodações sociais que nos levam a adaptar conscientemente nossas opiniões, pois com um diálogo sadio, o nosso oponente acaba nos levando a visualizar pontos que sozinhos, não conseguimos enxergar ou entender. Eu também quero encontrá-la numa nova discussão bem acalorada como foi esta. Creio que todos os que participaram estão de parabens pela coragem de expor suas palavras, comentários, e opiniões.”

“Quero agradecer todos meus amigos dihitianos, pois me proporcionaram compor um Post, somente de respostas aos seus comentários.”


Em 16/01/2010
postado no link: http://elianderson.wordpress.com/2008/09/22/aqui-nao-tem-terremoto/#comments

“Aqui no Brasil, as catástrofes tem outra “cara”… mesmo assim não podemos sequer comparar o paraíso em que vivemos, com uma situação tão desoladora como nos mostram as fotos… Oremos por esses sobreviventes, mutilados em todos os sentidos.” 

Em 06/02/2010
postado no link: http://noticias.terra.com.br/mundo/fotos/0,,OI114675-EI294,00-Veja+fotos+do+terremoto+de+graus+no+Haiti.html

“E se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo: porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo.” (Jo.12:47)

Com este texto bíblico, quero alertar a todos que estão fazendo julgamentos desnecessários que, se nem Jesus Cristo, sendo Filho de Deus, disse que não veio para julgar o mundo, quem somos nós para fazê-lo??? Quem somos nós para dizer o que Deus está pensando ou deixando de pensar???

“Não julgueis para que não sejais julgados” (Palavras de Jesus em Mt. 7:1)

Usemos de misericórdia não somente em atitudes mas também em palavras. Agora é o momento de sermos canal de Deus para levarmos bálsamo, amor e solidariedade àquele povo sofrido; é momento de “lavarmos seus pés”, pois assim eles compreenderão o que é ser verdadeiramente um cristão que se diz ser “filho de Deus”. 

Sonia Valerio da Costa
16/01/2010 (Atualizado em 06/02/2010)

Declaração Universal dos Direitos Humanos (10 de dezembro)

 

(Google Imagens)

Em 10 de dezembro de 1948, a ONU proclamou a Declaração Universal dos Direitos Humanos e por isso foi escolhida essa data para comemorar o Dia Universal dos Direitos Humanos. Nas culturas primitivas, os costumes e o modo de agir, serviam de garantia social. Quando os costumes começaram a se desintegrar, surgiram as leis e as normas jurídicas. Moisés recebeu os 10 Mandamentos diretamente de Deus e mais tarde, foram confirmados por Jesus Cristo,  em dois ítens, : “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças” (1º mandamento) e “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” (2º mandamento) ( Marcos 12:30-31)

Na Roma antiga, com o surgimento de uma sociedade mais exigente, foi necessário estabelecer normas escritas, sancionadas pelo poder constituído. A cada direito corresponde uma obrigação. Para garantir o devido respeito às normas estabelecidas, estabeleceu-se a coerção social e por fim a aplicação da sanção jurídica.  Com isso surgem a polícia, os tribunais, os juizes e uma série de instituições capacitadas para exercer a acusação, defesa e condenação do infrator ou possível contraventor.

A difusão do Cristianismo contribuiu para a afirmação da igualdade entre os homens, baseada na fraternidade universal e na dignidade da pessoa humana. Rui Barbosa, em uma conferência sobre a liberdade, declarou: “O Evangelho deu a mais simples, a mais breve, a mais completa declaração dos direitos dos homens, dizendo: ‘Não faça a outrem o que não queres que te façam”.

A Declaração Universal promulgada pela ONU, abrange trinta artigos. O preâmbulo contém a seguinte frase: “o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações”. No artigo primeiro é declarado que “todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos, são dotados de razão e consciência e devem agir uns em relação aos outros com espírito de fraternidade”.

Resumidamente, os demais artigos tratam de: direito à vida, em sua integridade física, espiritual e moral; direito à vida digna de ser vivida; direito à liberdade de locomoção, de manifestação de pensamento, de associação e de reunião; direito à liberdade de trabalho, à educação e à cultura; direito de constituir uma família e de proteção ao grupo familiar; direito de acesso aos cargos e funções públicas; direito de votar e ser votado; direito à liberdade política e à liberdade econômica; direito de reclamação e representação; direito de recurso à justiça contra toda violação de direitos; direito de informação e documentação.

O preâmbulo da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada a 05 de outubro de 1988, diz: “Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos,  fundada na harmonia social, e comprometida na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte Constituição da República Federativa do Brasil”.  No Título II e Capítulos I a V, estão especificados os direitos e as garantias fundamentais dos cidadãos.

A celebração dos Direitos Humanos durante o mês de dezembro é bastante apropriada, pois com a aproximação das festas de Natal e de início de um novo ano, normalmente fazemos uma retrospectiva e reflexão a respeito dos acontecimentos do ano vigente, nos propondo até mesmo tomarmos novas posturas comportamentais no novo ano que se aproxima.

Acima de toda essa tradição cristã, sabemos que há um Deus que cuida e faz justiça a favor dos justos. Muitos chegam até a duvidar da existência de Deus, quando presenciam ou sofrem com a violência, a falsidade, a traição, a injustiça dos homens, a criminalidade e impunidade. Portanto, creio ser oportuno transcrever alguns textos bíblicos que comprovam a ação de Deus entre os homens:

“Mas Deus é longânimo e paciente, desejando que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento.” (II Pe. 3:9) 

“Diz o tolo em seu coração: “Deus não existe”. Corromperam-se e cometeram atos detestáveis; não há ninguém que faça o bem. O Senhor olha dos céus para os filhos dos homens, para ver se há alguém que tenha entendimento, alguém que busque a Deus. Todos se desviaram. Igualmente se corromperam; não há ninguém que faça o bem, não há nenhum sequer. Será que nenhum dos malfeitores aprende? Eles devoram o meu povo como quem come pão, e não clamam ao Senhor! Olhem! Estão tomados de pavor! Pois Deus está presente no meio dos justos. Vocês, malfeitores, frustram os planos dos pobres, mas o refúgio deles é o Senhor.” (Salmo 14:1-6)

“Salva-nos Senhor! Já não há quem seja fiel; já não se confia em ninguém entre os homens. Cada um mente ao seu próximo; seus lábios bajuladores falam com segundas intenções. Que o Senhor corte todos os lábios bajuladores e a língua arrogante dos que dizem: ‘Venceremos graças à nossa língua; somos donos dos nossos lábios! Quem é o Senhor sobre nós?’ Por causa da opressão do necessitado e do gemido do pobre, agora me levantarei, diz o Senhor. Eu lhes darei a segurança que tanto anseiam.” (Salmo 12:1-5)

“Tú, Senhor, ouves a súplica dos necessitados; tu os reanimas e atendes ao seu clamor. Defendes o órfão e o oprimido, a fim de que o homem, que é pó, já não cause terror.” (Salmo 10:17-18)

Quando falamos do ser humano, da família, da comunidade e da sociedade, logo nos vem à mente o direito, sem o qual ninguém poderia sobreviver. Portanto, ainda é tempo de contribuirmos de alguma maneira, para que em todos os países, sejam respeitados os direitos fundamentais, individuais e coletivos do homem, com o fim de proporcionar de forma igualitária, liberdade e fraternidade universal.

Fontes: “Bíblia Sagrada” e “Origem das Datas Comemorativas” de Mário Basacchi

Sonia Valerio da Costa
10/12/2009

Segue-me

 (eu uso google imagens)

Eu sou o caminho, a verdade e a vida.

Segue-me. E eu te darei repouso e sombra na tua caminhada.

Afastarei pedras e farpas de teus pés caminheiros.

Abençoarei tuas mãos de trabalhador.

Farei do trabalho o lazer e aprazimento de tua vida.

Segue-me.

***

Esperando sempre confiante.

Eu te darei a certeza da vida eterna e curarei as dúvidas que te flagelam.

Terás alegrias nos teus espaços, marcarás na terra caminhos de esperança.

O futuro se fará risonho e aberto aos que não vêem e crêem.

Segue-me.

***

Transformarei a tua vida e te levarei “a verdes pastos”.

Porei em tuas mãos o cajado do pastor e cuidarás do meu rebanho disperso.

Plantarás o trigo abençoado, o vinho da alegria e o linho da pureza.

Segue-me.

***

Eu te farei pescador de todos os errados e perdidos,

errantes pela terra.

Ele passava pelo mercado público, lá estava o publicano Levi,

com os seus livros e folhas de argila, cobrando aos mercadores

os tributos de César.

Jesus olhou, alcançou o íntimo profundo e reservado do publicano e disse:

Segue-me. Levi deixou suas pedras e números

e se fez discípulo ao lado do Mestre.

O pequeno Zaqueu, “homem baixo de estatura”,

queria ver o Mestre aclamado

e a multidão lhe tirava a visão.

Ele subiu numa árvore, queria ver, precisava ver o Cristo,

caminheiro nas terras da Judéia.

Jesus o viu antes que fosse visto e disse:

“Desce desta árvore, Zaqueu, que hoje a salvação entrou em tua casa.”

Zaqueu partilhou seus bens com os pobres e tomou seu lugar ao lado do Mestre.

Segue-me.

***

O Moço procurou Jesus. Tinha tudo e cumpria os preceitos.

Que mais poderia fazer para merecer das promessas?

Renuncia ao que tens e terás o dobro do que contas.

Pedro lançava suas redes.

O Mestre passou e disse: “Recolhe tuas redes

e eu te farei pescador de homens.”

Segue-me.

***

Jovens e adultos, eu vos darei o que debalde buscais com afã,

um pouco de felicidade.

Farei ver o que está dentro de cada um, templo e morada do Espírito Santo.

Eu vos darei os sete dons do espírito e vos sentireis pleno

da sabedoria da vida, que debalde procurais.

Farei ver a vossa própria razão de vida e de morte,

responderei às vossas indagações.

Segui-me.

***

Os que governam, os que comandam.

Darei ocupação aos desocupados, saúde aos enfermos,

inteligência aos ignorantes.

Eu vos farei a luz da candeia acesa que vai na frente

e aclara o caminho escuro.

Segui-me.

***

Juízes que repartis julgamentos, eu vos darei

a balança da equidade e a certeza do Direito.

Segui-me.

***

Advogado que reivindicas Justiças aos que dela, carentes,

têm fome e sede.

Médico. Eu te darei a melhor ciência de curar dores alheias

e suavizar a partida dos que se vão.

Segue-me.

***

Vós todos, homens da terra, encherei as vossas tulhas

eo trabalho de vossos braços será um cântico para o alto.

Segui-me.

***

Todas as perdidas do mundo eu vos darei vestes novas

de pureza e de brancura.

Segui-me.

***

Presidiário, busca-me na solidão da tua cela

e eu te levarei no caminho da recuperação e da Paz.

Estou encostado a ti. Procura-me com o coração

daquele salteador condenado, a quem perdoei todos os crimes

pela força do arrependimento a esperança da salvação.

Chama por mim. Ouvirei o teu clamor.

Tomarei nas minhas, tuas mãos armadas e farei de ti

um trabalhador pacífico da terra.

Segue-me.

***

Estou ao teu lado, sou tua sombra.

Abrirei os cárceres do teu espírito,

encherei de luz, não só tua cela escura,

senão, também, a cela escura do teu entendimento.

Segue-me.

***

Jovem, eu te livrarei do vício e do fracasso.

Da droga destruidora e te farei direito,

pelos caminhos entortados.

Segue-me.

***

Quem chama por mim não cansa nunca.

Quando tardo, estou no caminho.

Farei leve a tua cruz.

Um Simão Cirineu, porei ao teu lado.

Desalentados e descrentes.

Mulheres perdidas, viciados e criminosos.

Vos lavarei a todos na água do perdão,

se me procurardes de coração aberto.

Um ladrão, companheiro de minha cruz,

eu o levei ao Pai, pela força da Palavra – “Senhor, lembrai-vos

de mim, quando estiverdes com vosso Pai.”

Eu o limpei de todos os erros e lhe foi dada a salvação.

Presidiário, que, roendo paredes e pedras,

ganhas a liberdade e voltas de novo à prisão

que abristes com a pua da tua vontade.

Se me seguires, nunca mais voltarás à prisão, porque te porei nos meus caminhos.

Darei luz à tua cela escura e farei iluminada

a cela mais escura do teu espírito.

Segue-me.

***

Todos os perdidos da vida.

Não vim ao mundo para os que estão salvos,

e sim para os enfermos.

Farei de ti a candeia acesa,

guiando a caminhada dos cegos.

Senhor, os privilegiados, cerradas suas oiças

à palavra da renovação, davam-lhe as costas.

Não podiam suportar aquelas verdades da palavra nova,

e dissestes a um discípulo ao vosso lado:

“Tú também queres me deixar?”

Este respondeu:

“Senhor, aonde irei sem vós? Tendes palavras de Vida Eterna.”

Jesus, eu sou aquele cego, surdo e mudo.

Tropeço nos caminhos errados.

Minha fé é frágil, o mundo me domina,

sustentai a minha fé,

Senhor! Aonde irei sem vós?…

 

“Segue-me” em: Vintém de cobre: meias confissões de Aninha. de Cora Coralina.

Postado em: 25/11/2009

 

 

Você poderá gostar também de: “Twittar: seguir ou perseguir”

O Poder da autoridade divina

(Google Images)

“Por mim reinam os reis e os príncipes ordenam justiça. Por mim governam os príncipes e os nobres, sim, todos os juízes da terra”. (Pv 8. 15,16)

A partir do momento que o homem pecou e foi afastado da presença divina, Deus viu a necessidade de instituir poderes hierárquicos, que tivessem autoridade para fazer justiça, protegendo os bons e punindo os maus. Através das autoridades constituídas, Ele governaria a humanidade com justiça e equidade (Sl. 67). No princípio, Deus exercia somente autoridade política e havia apenas uma nação no mundo.

A construção da Torre de Babel foi uma prova de que o homem também necessitava de uma autoridade espiritual para controlar seus impulsos egocêntricos. Assim, Deus elegeu o povo de Israel e planejou exercer conjuntamente autoridade política e espiritual sobre eles para que fossem um exemplo às demais nações. Novamente o homem rejeitou o governo político de Deus, pois desejando se igualar às demais nações, Israel preferiu sobre si, um rei politicamente instituído. Essa atitude levou a nação de Israel a uma derrota total. Em I Sm. 8. 7, Deus diz ao profeta Samuel: “não te rejeitaram a ti, mas a mim, para eu não reinar sobre eles”. Quando Israel rejeitou o governo divino, na verdade estava se opondo à autoridade política de Deus. Mesmo porque Deus nunca abriria mão de Sua autoridade espiritual.

Passados alguns séculos, com o propósito de restaurar o homem, Deus, pelo Seu infinito amor, se propôs a exercer diretamente só autoridade espiritual, enviando Seu próprio Filho Jesus Cristo; esse plano de salvação, restauraria a comunhão entre o homem e Seu Criador.  Depois que os primeiros cristãos usufruíram dessa submissão à autoridade espiritual/sacerdotal de Jesus, comprovaram em suas vidas a veracidade das palavras do Mestre, quando afirmou: “aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt. 11. 29b,30). Porém, a humanidade se negou e continua se negando a aceitar plano tão simples de salvação, não querendo se submeter à autoridade divina.

O Apóstolo Paulo entendendo a importância de haver harmonia entre a Igreja e o Estado, a fim de que o Evangelho pudesse crescer com liberdade, orientou os cristãos de Roma a que fossem obedientes às autoridades, não por medo da punição, mas porque foram instituídas por Deus, justamente para que os maus fossem punidos; quem praticar o bem terá o seu louvor (Ro. 13.1-7). Porém, quando um governo político, impõe aos seus subordinados que lhe dispensem honras divinas, tomando o lugar de Deus ou de sacerdote, estará sendo reprovado, em primeira instância, pelo próprio Deus.

Infelizmente a história universal tem registrado a atuação de vários governantes, que estabeleceram sua própria justiça, em detrimento da justiça divina; de maneira direta ou indireta, causaram males terríveis e infelicitaram a vida de milhões de pessoas. Deus tem sido longânimo até para com tais governantes; porém, sempre levantará alguém com autoridade para fazer-lhes oposição, a fim de que entendam que estão sendo reprovados por Ele.

Atualmente um espírito de rebeldia e insubmissão para com as autoridades instituídas, seja governamental, familiar ou religiosa, tem atingido nossa sociedade, provocando conseqüências desastrosas. A desobediência e intolerância às leis instituídas estão proporcionando o desequilíbrio físico, social, ecológico, moral e espiritual.

Sabemos que as nações estão caminhando para a formação de apenas um governo mundial. Porém, esse governo, no final dos tempos, será um reino sacerdotal, governado pelo próprio Jesus, o Filho de Deus, que foi morto, mas ressuscitou e está assentado à direita de Deus Pai e é o único que pode interceder por nós.

Assim, nossa esperança deve estar firmada nas promessas divinas conforme está escrito em I Co. 15. 24,28: “Então virá o fim quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver destruído todo domínio e toda autoridade e todo poder, então o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos”. Com muita alegria e voluntariamente, nos submeteremos ao Rei dos reis e Senhor dos Senhores, porque todos os seus inimigos, inclusive a morte, estarão destruídos.

“Glórias e honras ao Senhor Deus, o Todo-poderoso, que era, e que é, e que há de vir” (Ap. 4, 8b).

 Sonia Valerio da Costa
30/08/2009
Categorias:Artigos Tags:, , ,