Arquivo

Posts Tagged ‘justiça’

Projeto Missy

Nós, um grupo de leitores que se sentiu tocado por “A Cabana“, estamos convencidos de que este livro merece ser lido pelo maior número de pessoas possível. Não é somente uma historia envolvente e inspiradora, mas tem uma qualidade literária que faz dela um presente especial. Oferece uma das visões mais pungentes de Deus e de como Ele se relaciona com a humanidade. Não somente irá encorajar os que já O conhecem, mas também atrairá quem ainda não reconheceu a presença do Criador em sua vida.

Produtores de cinema já expressaram interesse em transformar esta história em filme e farão isso depois que um número considerável de livros estiver em circulação. A divulgação boca a boca ainda é a ferramenta mais eficaz para que um livro como este possa causar transformações.

Se você, como nós, foi tocado pela mensagem deste livro, talvez já tenha algumas idéias de como fazer que outros o conheçam. Oferecemos algumas sugestões para ajudá-lo a compartilhar “A Cabana” com outras pessoas.

Dê o livro de presente a amigos e até mesmo a estranhos. Eles receberão não apenas uma historia empolgante, mas também um vislumbre magnífico sobre a natureza de Deus, de uma forma raramente apresentada em nossa cultura.

Se você tem um site ou um Blog na internet, fale um pouco sobre o livro e como ele tocou sua vida (eu já fiz: A Cabana). Não revele o enredo, mas recomende entusiasticamente para que as pessoas o leiam.

Escreva uma resenha para um jornal de sua cidade, uma revista de sua predileção ou um site que você frequente. Se você tem uma loja, exponha o livro com a maior visibilidade possível. Se for dono de uma empresa, considere a possibilidade de presentear com o livro seus clientes preferenciais.

Doe o livro para abrigos femininos, prisões, lares de reabilitação, casas de repouso e outros lugares onde as pessoas possam ser encorajadas pela historia e pela mensagem.

Em reuniões e encontros, fale do livro e conte do impacto que ele causou em sua vida. Você prestará um grande favor aos que o escutarem.

Para mais informações e idéias de como você pode ajudar, conheça o Projeto Missy (The Missy Project) em nosso site em inglês:

The Shack

Se você se sentiu tocado pelo assombro deste livro “A Cabana” e quer ajudar a torná-lo disponível a outros num nível mais amplo, nós o convidamos a participar do…

Projeto Missy

Este texto foi reproduzido na íntegra, conforme publicado ao final do Livro “A Cabana” de William P. Young, por:

Sonia Valerio da Costa
Em 04/01/2011
 
P.S. Em 06/04/2017 foi a estréia do Filme A Cabana nos cinemas brasileiros.

Anúncios

Falando Sobre Iniquidade

 

Publico este video e este texto bíblico em meu Blog, porque a Constituição me garante liberdade de expressão. O Brasil é um país democrático e nós, enquanto Igreja, precisamos ser o sal da terra, que é um tempero salutar, para “temperar” nossa sociedade, que está perdendo o rumo do bom senso, da ética, da verdade e da obediência ao nosso Criador.

“O SENHOR me disse o seguinte: – Homem mortal, diga ao seu povo o que acontece quando eu faço vir a guerra a um lugar. O povo desse lugar escolhe alguém para ser vigia. Quando vê o inimigo chegando, o vigia dá o alarme para avisar toda a gente. Se alguém ouve o aviso, porém não se importa, e o inimigo vem e o mata, esse alguém é responsável pela sua própria morte. Ele é culpado da sua própria morte porque não se importou com o alarme. Se tivesse se importado, poderia ter escapado. Mas, se o vigia vê o inimigo se aproximando e não dá o alarme, o inimigo vem e mata aqueles pecadores. Nesse caso, eu considerarei o vigia como responsável pela morte deles. – Agora, homem mortal, eu estou pondo você como vigia de toda a nação de Israel. Você dará a eles os avisos que eu lhe der. Se eu disser que um homem mau vai morrer, mas você não o avisar para que mude o seu modo de agir e assim salve a sua vida, aí ele morrerá, sendo ainda pecador. Nesse caso, eu considerarei você como responsável pela morte dele. Porém, se você avisar o homem mau, e ele não parar de pecar, ele morrerá como pecador, mas você viverá.  O SENHOR me disse o seguinte: – Homem mortal, repita aos israelitas o que eles andam dizendo: “Os nossos pecados e maldades são um peso para nós. Estamos nos acabando. Como podemos viver?” Diga-lhes que juro pela minha vida que eu, o SENHOR Deus, não me alegro com a morte de um pecador. Eu gostaria que ele parasse de fazer o mal e vivesse. Povo de Israel, pare de fazer o mal. Por que é que vocês estão querendo morrer? – Agora, homem mortal, diga aos israelitas que, quando um homem correto pecar, o bem que ele fez não o salvará. Se um homem mau parar de fazer o mal, ele não será castigado; e, se um homem correto começar a pecar, ele não continuará vivendo.  Se eu prometer dar a vida a um homem correto, e se ele começar a pecar porque pensa que a sua bondade passada o salvará, aí eu não lembrarei de nenhuma das boas ações que praticou. Ele morrerá por causa dos seus pecados. Se eu avisar um homem mau, dizendo que vai morrer, e se ele parar de pecar e fizer o que é bom e correto – por exemplo, se devolver o objeto que lhe deram como garantia de pagamento de uma dívida ou se devolver o que roubou – se ele parar de pecar e seguir as leis que dão vida, ele não morrerá, mas viverá. Eu perdoarei os pecados que cometeu. Ele viverá porque fez o que é bom e correto. – No entanto, o seu povo diz que o que eu, o Senhor, faço não está certo! São eles que não estão certos! Quando um homem correto pára de fazer o bem e começa a fazer o mal, ele morrerá por causa disso. Quando um homem mau pára de pecar e faz o que é bom e correto, ele salvou a sua vida. Mas você, povo de Israel, diz que o que eu faço não está certo. Eu os julgarei por aquilo que fazem.” (Bíblia NTLH Ez. 33:1-20)

“Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens.” (Bíblia NTLH Mt. 5:13)

“Vocês são a luz para o mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. Ninguém acende uma lamparina para colocá-la debaixo de um cesto. Pelo contrário, ela é colocada no lugar próprio para que ilumine todos os que estão na casa. Assim também a luz de vocês deve brilhar para que os outros vejam as coisas boas que vocês fazem e louvem o Pai de vocês, que está no céu.” (Bíblia NTLH Mt. 5:14-16)

“Do céu Deus revela a sua ira contra todos os pecados e todas as maldades das pessoas que, por meio das suas más ações, não deixam que os outros conheçam a verdade a respeito de Deus. Deus castiga essas pessoas porque o que se pode conhecer a respeito de Deus está bem claro para elas, pois foi o próprio Deus que lhes mostrou isso. Desde que Deus criou o mundo, as suas qualidades invisíveis, isto é, o seu poder eterno e a sua natureza divina, têm sido vistas claramente. Os seres humanos podem ver tudo isso nas coisas que Deus tem feito e, portanto, eles não têm desculpa nenhuma. Eles sabem quem Deus é, mas não lhe dão a glória que ele merece e não lhe são agradecidos. Pelo contrário, os seus pensamentos se tornaram tolos, e a sua mente vazia está coberta de escuridão. Eles dizem que são sábios, mas são tolos. Em vez de adorarem ao Deus imortal, adoram ídolos que se parecem com seres humanos, ou com pássaros, ou com animais de quatro patas, ou com animais que se arrastam pelo chão. Por isso Deus entregou os seres humanos aos desejos do coração deles para fazerem coisas sujas e para terem relações vergonhosas uns com os outros. Eles trocam a verdade sobre Deus pela mentira e adoram e servem as coisas que Deus criou, em vez de adorarem e servirem o próprio Criador, que deve ser louvado para sempre. Amém! Por causa das coisas que essas pessoas fazem, Deus as entregou a paixões vergonhosas. Pois até as mulheres trocam as relações naturais pelas que são contra a natureza. E também os homens deixam as relações naturais com as mulheres e se queimam de paixão uns pelos outros. Homens têm relações vergonhosas uns com os outros e por isso recebem em si mesmos o castigo que merecem por causa dos seus erros. E, como não querem saber do verdadeiro conhecimento a respeito de Deus, ele entregou os seres humanos aos seus maus pensamentos, de modo que eles fazem o que não devem. Estão cheios de todo tipo de perversidade, maldade, ganância, vícios, ciúmes, crimes de morte, brigas, mentiras e malícia. Caluniam e falam mal uns dos outros. Têm ódio de Deus e são atrevidos, orgulhosos e vaidosos. Inventam maneiras de fazer o mal, desobedecem aos pais, são imorais, não cumprem a palavra, não têm amor por ninguém e não têm pena dos outros. Eles sabem que o mandamento de Deus diz que aqueles que fazem essas coisas merecem a morte. Mas mesmo assim continuam a fazê-las e, pior ainda, aprovam os que fazem as mesmas coisas que eles fazem.” (Bíblia NTLH Rm. 1:18-32)

“Pois nós não podemos fazer nada contra a verdade, mas somente a favor da verdade.” (Bíblia NTLH 2ª Co. 13:8)

Postado por Sonia Valerio da Costa

Em: 04/09/2010

 

 
 

Até o coração sangrar!!!

coraçãosangrando

Rubem Alves apresenta com muita propriedade, em seu livro “Como Nasceu a Alegria” que esse sentimento surge a partir do momento que olhamos ao nosso redor e percebemos que, quando sentimos uma dor, chegamos a pensar que estamos sós; mas percebemos que aqueles que nos amam, se unem num sentimento único de empatia para comungar com a nossa dor.

Ao percebermos que estamos sendo amados fraternalmente, a alegria começa a brotar dentro de nós e acaba aflorando com um sorriso angelical e contagioso em nossos lábios. Em contrapartida, o amor surge dentro de nós, apenas quando aprendemos a amar. Assim como a alegria é uma consequencia do amor fraternal recebido, o verdadeiro amor só irá brotar de dentro do nosso coração e aflorar para alcançar aos que estão ao nosso redor, somente quando nosso coração “sangrar”.

Somente a partir desse momento é que nos damos conta que o verdadeiro amor começou a fluir de dentro de nossa alma. Jesus nos deixou o exemplo da expressão do verdadeiro amor, quando em agonia no Getsêmane lutou contra as artimanhas de seu adversário, Satanás, e, apesar das afrontas, decidiu expontaneamente se deixar levar para a cruxificação.

Sua agonia e luta interior foi tão intensa, que seu suor tornou-se em gotas de sangue. Ele sentiu na sua própria carne, todos os nossos sofrimentos: dores, angústias, desprezos, indiferenças, hipocrisia, traição, falsidade, falso testemunho.

Hoje, quando contempla nossos sofrimentos, Ele entende perfeitamente o que estamos sentindo, pois se transculturou de sua posição celestial para a posição inferior de um ser humano mortal. Assim, Ele adquiriu o direito e o poder de ser o nosso Sumo Sacerdote diante do Pai.

Amar, não é julgar uma determinada atitude, mas se colocar de corpo, alma e espírito no lugar do outro, entender a razão de suas atitudes e mesmo assim demonstrar afeto, carinho, consideração, atenção, disponibilidade, proteção, cuidado, segurança, equilíbrio, paz, ternura, fidelidade, consolo, misericordia, esperança, firmeza, tranquilidade e ainda, transmitir esperança e acreditar em seus sonhos.

Esse tão nobre, sublime e maravilhoso sentimento, que podemos chamá-lo de ”Amor Ágape” (amor divino), só nasce a partir do momento que nosso coração começa a sangrar. Somente Jesus, por ser 100% homem e 100% Deus, conseguiu ainda em corpo humano, expressar o “Amor Ágape”.

Agora nós, que nos tornamos filhos de Deus, através de Jesus Cristo, recebemos instruções para que possamos amar uns aos outros, assim como amamos a nós mesmos.

O primeiro e talvez único passo necessário para amarmos alguém, é perdoar, perdoar, perdoar….

O sentimento de perdão só pode brotar de um coração machucado pela ofensa e, coração machucado, sangra. O coração que sangra, perdoa. O coração que perdoa, fica marcado para sempre com sentimento de misericórdia para com os que estão ao nosso redor.

Por nós mesmos não conseguimos; mas quando convidamos Jesus para que entre em nosso coração e domine nossos instintos carnais, conseguimos expressar um amor verdadeiro, que será capaz de transpor todas as barreiras e intercorrências encontradas em nossa caminhada.

Essa forma de viver, não nos torna “fracos” diante da sociedade; muito pelo contrário, passamos a viver uma vida de verdadeira paz de espírito.

Permita que seu coração sangre!!!… Perdoe!!! … Somente assim seu coração será inundado de amor!!!

Por Sonia Valerio da Costa
Em 02/08/2010

Porque Deus é Amor!

Justiça e Amor Divinos

“A Justiça de DEUS, nunca é cruel, pois Ele não nos julga apenas por nossas atitudes, mas sim pelas intenções que nos levaram a elas.”

“Ficar em silêncio e deixar Deus agir, é sempre o melhor caminho para se alcançar resultados excelentes.”

“Quando Deus faz justiça, cabe a nós apenas liberar perdão. Nada mais.”

“Quando exercitamos o perdão, entre nós, seres humanos, nossas atitudes vão fazer transparecer o nível de porcentagem de perdão que liberamos para perdoar a ofensa.”

“Quando liberamos total perdão, a paz do Espírito Santo entra em nossa vida e reina em nossos corações.”

“Quando perdoamos, continuamos lembrando da ofensa recebida, mas o sentimento de misericordia passa a ser mais forte, se sobrepondo a qualquer atitude de revide.”

“Quando liberamos perdão àqueles que nos ofenderam, retribuimos a ofensa com o amor Ágape, que é o amor misericordioso e puro com o qual o próprio Deus nos amou.”

“Mistério! O perdão genuíno só pode ser liberado, quando antes conseguimos nos perdoar a nós mesmos! Deus quer isso e nos ajuda a fazê-lo!”

“A ausência de perdão nos aprisiona de tal forma aos nossos inimigos, que acabamos convivendo com eles 24 horas por dia.”

“Quando perdoamos, libertamos nossos inimigos; eles se vão de nossas vidas e passamos a viver em paz.”

“Se você estiver precisando de paz, o remédio eficaz e sem contra-indicação, é o perdão.”

Todos estes pensamentos são de autoria de:
Sonia Valerio da Costa
Postado em 25/07/2010

Deus é Fiel!

(Google Imagens)

“Quando queremos nos disvencilhar dos nossos inimigos, por nossa própria conta e risco, acabamos enredados entre dois caminhos  e nos tornamos os bobos da côrte!

Mas quando nos silenciamos e deixamos que Deus tome nossa frente, as portas se abrem, as perseguições cessam e Deus nos toma em seus braços para que todos contemplem nossa inocência!”

Sonia Valerio da Costa
em 18/07/2010
 

Corpus Christi (significado).

(Google Imagens)

A festa de Corpus Christi (Corpo de Cristo) é uma das festas mais alegres para o povo católico. Por impossibilidade ética de externar toda sua alegria, na quinta-feira santa que é a Eucaristia, dia da instituição do sacerdócio e do sacrifício cristão, quando estão revivendo as dores da paixão de Jesus, a Igreja reservou a quinta-feira após o primeiro Domingo depois do Pentecostes, para esta solenidade.

O Catolicismo comemora nessa data o sacramento da última Santa Ceia celebrada por Jesus Cristo antes de sua morte na cruz do Calvário.

“E quando comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos seus discípulos, e disse: ‘Tomai, comei, isto é o meu corpo’. E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: ‘Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados’.” (Bíblia Sagrada. Mt. 26:26-28)

(Google Imagens)

CORPUS CHRISTI

 

Antes de ser na cruz sacrificado,

e pelos homens imolado,

Jesus, Nosso Senhor,

num gesto de amor,

reuniu os Apóstolos,

na última ceia.

 

A hora sagrada, solene o momento.

Jesus abriu seu coração

E leu o Testamento:

“Eu vos dou um novo Mandamento:

Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.”

 

Em seguida, o Filho de Deus

Lavou os pés dos seus.

No meio dessa humildade,

Escondia-se tanta grandeza!

A primitiva nobreza!

 

Como poderia partir

E ao mesmo tempo aqui ficar?

A Eucaristia foi a solução

Abençoou o pão e o cálice,

Deixando-nos este Sacramento,

Por seu Testamento.

 

É o memorial de sua Paixão.

Garantia da nossa ressurreição.

Com ele se renova a Aliança,

Fonte de nossa esperança

Transformou o Cenáculo

No primeiro Tabernáculo.

 

Para festejar neste momento,

da Eucaristia o grande Sacramento,

O corpo de Cristo é levado

pelas ruas, pelo povo é adorado.

O povo cristão está em festa,

Sua fé com vivas manifesta.

 

As janelas estão enfeitadas,

Com flores, praças e ruas ornadas.

Há lindos tapetes e pinturas,

Símbolos e figuras,

Obras de tantos artistas,

que merecem ser vistas.

 

Por onde passa a procissão,

Fica-se tomado pela emoção.

Jogam-se flores e batem-se palmas,

Regozijam-se os corações.

Repete-se o gesto milenar

De Israel o alegre cantar.

 

É como se fosse a entrada triunfal

De Cristo na sua capital.

De joelhos ou de pé,

À passagem de Cristo, renovamos a fé,

Agradecemos a Deus

Por este pão descido dos céus.

 Fonte: Origem das Datas Comemorativas – Mario Basacchi

Postado por: Sonia Valerio da Costa
03/06/2010

O Desequilíbrio entre o Bem e o Mal!

Atualmente, temos ouvido falar com muita frequência, sobre a necessidade de mantermos um equilíbrio interno, entre o bem e o mal; todos nós, seres humanos, encontramos dificuldades de controlar nossos impulsos. 

Esse equilíbrio proposto a nós seres humanos, no sentido de termos um auto-domínio, quanto a nossas atitudes, pode ser muito bem compreendido através das sábias palavras de um velho indígena, quando aconselhava um índio de sua tribo. Essa mensagem sobre os dois cachorros que existem dentro de nós tem sido bastante veiculada através da internet.

Essa mensagem nos transmite uma lição de moral, para que possamos sempre exercer boas ações. Indiretamente ela nos direciona a que tenhamos comportamentos adequados, para que o Bem possa estar sempre acima do mal; o equilíbrio entre essas duas forças trará consequências desastrosas. Sendo que o desequilíbrio entre os dois cachorros, nos trará a temperança, a paciência e a ponderação para tomarmos atitudes acertadas.

Assim, refletindo melhor sobre esse assunto, veio ao meu coração, que no eterno passado, quando existia apenas o Bem, o próprio Bem teve a ousadia e coragem de criar o Mal, para que, através do Mal, o Bem fosse fortalecido e cada vez mais reconhecido de que verdadeiramente, o Bem existe.

“Onde o pecado abundou, superabundou a graça”. (Romanos 5:20b). Se mantivermos um desequilíbrio interno em favor do Bem, seremos pessoas de carater sincero, onde a verdade estará sempre em nossos lábios, pensamentos e atitudes. Mas, se o nosso desequilíbrio interno for em favor do mal, nossas atitudes serão condenáveis não somente pela sociedade, mas também por Deus, que é o Bem maior e tem o controle de todas as coisas em Suas mãos.

Estamos proporcionando um desequilíbrio interno a favor de quem? Do Bem, que é a verdade, que é o próprio Deus, ou do Mal, que é a mentira e que o pai da mentira é o próprio Satanás? Pelas atitudes (frutos) é que conhecemos quem são as pessoas (árvore).

“Que diremos então? Continuaremos pecando para que a graça aumente? De maneira nenhuma! Nós, os que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele? Portanto não permitam que o pecado continue dominando os seus corpos mortais, fazendo que vocês obedeçam aos seus desejos. Não ofereçam os membros do corpo de vocês ao pecado, como instrumentos de injustiça; antes ofereçam-se a Deus, como quem voltou da morte para a vida; e ofereçam os membros do corpo de vocês a Ele, como instrumentos de justiça. Que fruto então colheram das coisas das quais agora vocês se envergonham? O fim delas é a morte! Mas agora que vocês foram libertados do pecado e se tornaram servos de Deus, o fruto que colhem leva à santidade e o seu fim é a vida eterna. Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Bíblia Sagrada, Carta aos Romanos 6: 1-2, 12-13, 21-23)

Não existe equilíbrio entre o Bem e o Mal, pois o Bem (Deus) SEMPRE prevalecerá!

Sonia Valerio da Costa
22/03/2010