Archive

Posts Tagged ‘comunicação’

Dia dos Namorados (12 de junho)

Fonte: Quem Namora

Diferenças entre os relacionamentos:

Amor colega:

Quando o relacionamento é apenas de coleguismo, ficamos contentes quando revemos uma pessoa que nos trouxe algum benefício, alguma alegria, ou mesmo nos orientou em algum problema que enfrentávamos no momento em que aquela pessoa nos foi útil. Normalmente esquecemos grande porcentagem dos benefícios que recebemos desses nossos “colegas”; mas, quando os encontramos temos o prazer de compartilhar alguma novidade, mas tudo de forma um tanto superficial. É difícil quem não possui diversos relacionamentos de coleguismo. Este tipo de relacionamento acontece geralmente entre colegas de escola, ou mesmo de trabalho. Quando as circunstâncias da vida, separam essas pessoas, o sentimento de perda é tão irrisório, que não nos provoca dores e nem mesmo frustrações.

Amor Amigo:

Quando encontramos alguém que sentimos uma confiança mais profunda e ficamos à vontade para compartilharmos assuntos mais íntimos, segredos, de forma que possamos receber ajuda, orientação e até mesmo conselhos, vamos formando laços de amizade, e de uma certa querência, que até sentimos saudades de conversar, de trocar idéias, de colocar os assuntos em dia e, até mesmo expor nossas necessidades para encontrar ajuda em todos os sentidos. Se por algum motivo inesperado, acontecer um distanciamento, sentiremos saudades, solidão, mas apesar de guardarmos lembranças agradáveis pela convivência dessa amizade que tivemos o privilégio de usufruir, aceitamos emocionalmente de forma tranquila, tanto que logo encontramos uma nova amizade.

Amor Amor:

Este é o tipo de relacionamento que se comemora no dia 12 de junho no Brasil. Em alguns países essa data é comemorada em 14 de fevereiro, dia de São Valentim. Conta a história que na Roma Antiga do século III o imperador romano Cláudio II, proibia o casamento dos seus soldados. Ele acreditava que os solteiros eram mais eficientes nos campos de batalha.

Sem se importar com as ordens do Imperador, o sacerdote Valentim continuou celebrando casamentos secretamente. Foi descoberto e condenado à morte. Na prisão, Valentim se apaixonou pela filha de um carcereiro. No dia 14 de fevereiro, antes de morrer, Valentim deixou um cartão para ela, assinado: “Do seu namorado”. Por isso os apaixonados celebram o amor no dia de São Valentim. (Fonte “Eco Kids: guia de datas comemorativas” de Marli Mitsunaga)

No Brasil, o Dia dos Namorados foi criado em 12 de junho de 1949 pelo publicitário João Dória, para aumentar as vendas das antigas lojas Clipper. Essa data cai na véspera do dia de Santo Antonio, que é o “Santo Casamenteiro”.

Há alguns anos atrás percebíamos uma nostalgia muito forte envolvendo os amantes e apaixonados, que, por serem conscientes da necessidade de que o ser humano precisa usufruir de um amor estável, buscavam fortalecer seus laços e vínculos amorosos e até aproveitavam a ocasião para tomar decisões mais sérias em suas vidas.

Hoje, com a inversão de certos valores sociais, onde vemos uma grande ênfase ao “descompromisso”, muitos simulam a existência de amor, apenas para levar vantagens, ganhar presentes e até mesmo ter uma companhia para passar uma tarde ou uma noite de prazer, apenas físico.

O lindo amor “eros” que é forte o suficiente para unir pessoas numa vida íntima de felicidade, está sendo sutilmente congelado e substituído pelo amor “ficante”. Os que se encontram carentes são as maiores vítimas desse tal “amor ficante”, pois se apegam a esse tipo de relacionamento sem futuro, principalmente por falta de opção e também porque não vêem outra forma de satisfazer suas necessidades físicas e emocionais. Quando caem na realidade, se dão conta das feridas emocionais que permitiram acontecer em suas vidas.

Nesse ponto não podemos culpar nenhum dos sexos, porque ambos estão sendo manipulados pelos desvios dos comportamentos sociais que deixaram de valorizar a família, que é o único lugar onde podemos tirar nossas máscaras sociais e vivermos nossa verdadeira identidade.

Mas como saber se fomos ou não atingidos pela flecha desse amor verdadeiro, desse amor “eros” e se realmente encontramos ou não a pessoa dos nossos sonhos?!

É muito fácil de identificar através das nossas próprias reações. Assim como o amor “colega” e o amor “amigo” afetam muito superficialmente nossas emoções quando os perdemos, o amor “eros” não aceita abrir mão da felicidade. Ele cria raízes tão mais profundas, que não se consegue uma separação ou um distanciamento sem deixar feridas profundas, mágoas e cicatrizes, e porque não dizer também “saudades”!!!

Quando existe a dúvida em identificar se o sentimento é apenas “um forte amor amigo” ou o “amor eros”, é até válido um afastamento para permitir que os corpos e almas dos envolvidos possam ter a oportunidade de reagir à essa nova situação de solidão, e poderem compreender a linguagem de seus corações.

Normalmente, o “amor amor” se fortalece nessas separações, pois se consegue visualizar de forma mais clara e racional, o quanto a outra metade representa para nossas vidas.

Nessas separações, descobrimos se esse amor eros existe ou não, quando detectamos alguns sinais como: 

– preocupação com o que possa estar acontecendo com o outro(a); será que está acontecendo alguma coisa?! … o que será sua ocupação neste momento?!

– uma solidão começa a invadir o coração… vai tomando conta do corpo e nada nem ninguém conseguirá preencher satisfatoriamente a ausência do outro(a); nessas circunstâncias nos tornamos irritadiços por não encontrarmos respostas que possam acalmar nossas emoções.

– a saudade aumenta em progressão geométrica; nos fechamos e nos refugiamos na solidão interna, fazendo o estritamente necessário para nossa sobrevivência; passamos a andar com o semblante caído, perdemos o viço da alegria de viver. Esse sentimento inexplicável, sem tradução, chamado “saudade” corrói nossos pensamentos que nos mata lentamente!!!

– o raciocínio perde o controle e até mesmo a razão; a imagem do outro(a) insiste em ocupar nosso pensamento; com isso, o pensamento se “desliga” e “viaja” em vão, pela busca do outro(a).

Se estivermos com esses sintomas, através de nossas atitudes, poderemos desbloquear um relacionamento truncado, e fazer reacender a chama do amor.

Vamos abrir nosso coração para o amor, pois esse é o sentimento mais sublime que Deus criou para nos unir e nos multiplicar.

Deus é o próprio AMOR.

COMUMENTE É ASSIM

Cada um ao nascer
traz sua dose de amor,
mas os empregos,
o dinheiro,
tudo isso,
nos resseca o solo do coração.
Sobre o coração levamos o corpo,
sobre o corpo a camisa,
mas isto é pouco.
Alguém
imbecilmente
inventou os punhos
e sobre os peitos
fez correr o amido de engomar.                                                                                              Quando velhos, se arrependem.
A mulher se pinta.
O homem faz ginástica
pelo sistema Muller.
Mas é tarde.
A pele enche-se de rugas.
O amor floresce,
floresce,
e depois desfolha.

Vladimir Maiakóvski

NÃO DEIXE O AMOR PASSAR

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.

Por isso, preste atenção nos sinais – não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR.

Carlos Drummond de Andrade

Sonia Valerio da Costa
12/06/2010

A Importância de Ficarmos na Porta.

(Google Imagens)

Com a experiência que vivenciei nestes últimos meses, pude entender a importância de vigiarmos todas as portas de acesso a qualquer lugar que considerarmos importantes para nós: seja edifício, casa, meio de transporte ou até mesmo internet. Com certeza, muitas pessoas que trabalham em algum desses lugares estratégicos, já devem ter perdido várias oportunidades, ou por distração, ou mesmo por falta de percepção; com isso, perderam oportunidades, que poderiam mudar totalmente suas vidas.

Lembrei-me de um homem que decidiu assumir essa posição de permanecer assentado à porta do Palácio do rei Assuero. Seu nome?… Mardoqueu. (Bíblia Sagrada – Ester 2:21) Ele assumiu essa posição na fortaleza de Susã, por sua livre e expontânea vontade.

Através do relato bíblico entendemos que as pessoas que por alí passavam, não davam a mínima importância à sua presença junto daquela porta. Tanto isso era fato que, dois eunucos do rei, que eram guardas daquela porta, conspiraram alí mesmo contra o rei, procurando ocasião para matá-lo; tão distraídos estavam que nem deram importância à presença de Mardoqueu.

Sendo primo da rainha Ester, Mardoqueu fez com que o caso chegasse sigilosamente ao conhecimento do Rei. A acusação foi investigada e como teve provas da veracidade do fato, os envolvidos foram condenados e o acontecimento foi registrado no livro das Crônicas do Rei.

Muitas vezes também somos desconsiderados e até mesmo desprezados quando assumimos publicamente que somos cristãos, e que servimos a Jesus Cristo, Filho de Deus. Quando estamos nEle e Ele em nós, Ele mesmo disse “pedireis tudo o que quiserdes e vos será feito” (Bíblia Sagrada – Jo. 15:7). Jesus Cristo é a porta de acesso ao Palácio celestial que, biblicamente, podemos comparar com as regiões celestiais em Cristo Jesus,  cujo Rei dos Reis é o Deus Pai, Todo-Poderoso, criador dos céus e da terra.

Em Jesus fomos colocados como atalaias para anunciar o Evangelho de Jesus Cristo, para que através dEle muitos possam entrar por essa Porta (Jesus Cristo) e receberem a Salvação de suas vidas.

Na posição de atalaias precisamos estar atentos, tanto para com os que entram, como para com os que saem desse “palácio”. Alguns saem com o objetivo de levar a Mensagem de salvação para aqueles que se encontram distantes da presença de Deus; outros, principalmente aqueles que nasceram dentro do palácio, saem para conhecer as “novidades” que estão acontecendo lá fora. Estes, infelizmente, acabam se perdendo e depois enfrentam sérias dificuldades, para encontrarem novamente a Porta de entrada.

Um terceiro grupo,  não entra e nem sai, mas prefere ficar na porta procurando ocasião para desvirtuar os ensinos do Mestre; são como os fariseus sobre os quais Jesus falou: “Ai de vós, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês fecham o Reino dos céus diante dos homens! Vocês mesmos não entram e nem deixam entrar aqueles que gostariam de fazê-lo.” (Bíblia NVI – Mt. 23:13)

Para não deixar dúvidas aos seus seguidores, Jesus ensinou sua doutrina na prática. Conhecedor das dificuldades que seus discípulos enfrentariam para viver seus ensinamentos, prometeu que, quando subisse para junto do Pai, não os deixaria órfãos, mas enviaria o Espírito Santo de Deus, para que os pudesse consolar, orientar, ensinar, revelar, santificar, purificar, limpar, proteger e os iluminar.

Isto aconteceu no Dia de Pentecostes, quando os discípulos de Jesus estavam reunidos no Cenáculo, com medo de tudo e de todos.

“E cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; e de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles; e todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” (Bíblia Sagrada – At. 2:1-4)

Podemos entender o Espírito Santo como nosso verdadeiro firewell que, como um  muro de fogo, nos dá total proteção contra os ataques do inimigo das nossas almas. No caso de Mardoqueu, esse inimigo era representado por Hamã. Quem tem o espírito Santo de Deus, não precisa temer as calúnias nem os falsos testemunhos, pois assim como Mardoqueu foi honrado pelo próprio Hamã, por ordem do Rei Assuero, o nosso Deus e Pai nos honrará através de seu Espírito Santo, diante dos nossos inimigos.

Busque ser cheio do Espírito Santo; com certeza você vivenciará uma nova vida em Jesus Cristo e terá maior intimidade com Deus, nosso Pai e Senhor de nossas vidas.

“Que o Amor de Deus nosso Pai, a Graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e as Consolações do Espírito Santo, seja com todos! Amém e Amém!

Sonia Valerio da Costa
29/05/2010

Prêmio Sunshine Award

Estou muito feliz por ter sido lembrada pelo Mikael Fernandes que indicou meu nome para receber este Selo tão especial, que reconhece e premia o trabalho de milhares de mantenedores de sites e blogs em todo o Brasil.

Recebo este prêmio com muita alegria, mas com muita responsabilidade para com todos os internautas que tem acessado meu Blog, para que sempre encontrem mensagens que possam satisfazer seus interesses pessoais, emocionais e também espirituais.

Conforme a orientação recebida, indico o nome de 12 Blogs para que também recebam este selo de reconhecimento:

Júnior

Vetho

Bruhbizzi

AlexandreLuz

Bodra

blogcomunicação

RonaldoAlves

silmarmo

cidadedaleitura

iuribr

TicoEsteves

rodrigonsilva

“O homem que tem muitos amigos pode congratular-se, mas há amigo mais chegado que um irmão” (Bíblia Sagrada – Pv. 18:24)

Sonia Valerio da Costa
28/05/2010

Deus foi o Primeiro a aplicar o “Boa Noite Cinderela”!!!

               (Google Imagens)                                                              

“Adão andava meio cabisbaixo pelo Éden. Todos os animais que o rodeavam tinham companheiras; menos ele.

– Senhor do Universo (disse Adão), desde que Lilit me deixou, só consigo pensar, quando o Senhor criará uma nova companheira para mim?!.

Deus, em vez de responder, fez Adão dormir profundamente. Olhando sua bela criação, decidiu fazer uma nova mulher. Desta vez, Ele usaria uma das partes do corpo do homem para criá-la.

Poderia fazê-la da cabeça de Adão. Melhor não, ela ficará muito cheia de si, orgulhosa. Poderia fazê-la dos olhos de Adão. Melhor não, ela ficará muito curiosa. Poderia fazê-la dos ouvidos de Adão. Melhor não, ela ficará o tempo todo ouvindo conversas alheias. Poderia fazê-la da boca. Melhor não, ela ficará falando sem parar.

Deus não conseguia aproveitar nenhuma parte do corpo de Adão. Sempre encontrava um problema para a nova criação. Até que, finalmente, achou a solução:

-É isso! Farei a mulher a partir da costela do homem. Assim ela será discreta e modesta.

Quando Eva se levandou do chão, Deus despertou Adão. O homem e a mulher, então, deram-se as mãos e viram anjos descendo dos céu, que traziam consigo instrumentos musicais: harpas, violinos, címbalos. Lindas melodias foram entoadas em homenagem ao novo casal.

Milhares de anos depois da criação de Adão e Eva, um certo imperador romano aproximou-se de uma famoso sábio judeu e disse:

– Não sei como vocês conseguem rezar para um Deus que cometeu um grande delito.

– Não entendi – disse o sábio.

– O Deus dos judeus é um grande ladrão!

O imperador falou tão alto que chamou a atenção de todos os que estavam na sala real. Uma pequena multidão aproximou-se para ouvir aquela discussão, inclusive a filha do sábio, conhecida por sua grande inteligência.

– Vossa Magestade, não compreendo esta acusação feita ao nosso Deus – disse o sábio, com ar meio preocupado.

– O Deus dos judeus fez Adão dormir para roubar a sua costela.

As pessoas na sala ficaram em completo silêncio. Todos esperavam uma resposta do grande sábio, que não tinha nenhum argumento plausível na cabeça. Sua filha, então, falou:

– Pai, posso responder ao grande Imperador?

Ninguém podia acreditar na coragem daquela jovem! Caso sua resposta não agradasse ao Imperador, seu destino seria a forca. Mas o sábio, que conhecia sua filha, fez uma oração silenciosa e disse:

– Filha, pode falar.

– Imperador, quero que chame imediatamente um juiz.

– O que isso tem a ver com a minha afirmação de que seu Deus é um ladrão? – disse o Imperador, que estava muito curioso com o pedido.

– Fomos assaltados ontem à noite.

– E o que levaram? – perguntou o Imperador.

– Os ladrões entraram na nossa casa e roubaram uma jarra de prata. No lugar, colocaram uma jarra de ouro.

O Imperador começou a rir sem parar:

– Eu adoraria que ladrões como esses viessem ao meu castelo todos os dias do ano. A sala inteira também começou a rir com o comentário do Imperador. Quando o silêncio voltou, a filha do sábio disse:

– Então Vossa Majestade quer que nosso Deus o visite todos os dias no seu castelo?

– Que atrevida! Explique-se já! – gritou o Imperador.

– Deus tirou de Adão uma jarra de prata, mas lhe deu Eva em troca, uma jarra de ouro reluzente.

O Imperador ficou em silêncio. As pessoas quase não piscavam, o clima era tenso. Até que, abrindo um pequeno sorriso, o Imperador disse:

– Estou impressionado com a sua inteligência. Resposta melhor não podia existir.

O sábio abraçou a filha e pediu permissão para irem embora. Ele estava curioso para saber de onde ela havia tirado aquela história. E, a partir daquele dia, o Imperador nunca mais importunou os judeus do seu reino.”

(Lenda judaica, do livro “O Senhor do Bom Nome” de Ilan Brenman)

***************

Quando ficamos revoltados pensando que Deus foi injusto em alguma área particular de nossa vida, pensemos neste texto!  Você entenderá que quando Deus tira algo de nós, sempre será para substituir por algo de maior valor.

O maior e mais sublime objetivo de Deus para nossas vidas, é se fazer conhecido entre nós; para isso Ele utilizará de Sua Sabedoria, com estratégias específicas e particulares a cada um de nós, de forma que possamos nos reencontrar com Ele diariamente.

Ele nos criou para que fôssemos felizes e Ele tem ciumes (Tiago 4:5) de nós. Esse ciúme é no sentido de cuidado e proteção. Não vale a pena fugir ou andar longe de Deus; se tomarmos essa atitude, estaremos nos auto-destruindo.

Mas Ele está sempre a nos chamar e a nos corrigir para que sejamos verdadeiramente seus filhos. (Leia na Bíblia Sagrada, Hebreus 12, versículos 5-11)

Todos nós somos criaturas de Deus, mas Ele quer que sejamos seus filhos, por nossa livre e expontânea vontade! Aceite ser filho de Deus e não somente sua criatura!

A todos, Graça e Paz da parte de Nosso Senhor Jesus Cristo!

Sonia Valerio da Costa
04/05/2010

Cultivando relacionamentos saudáveis.

(Google Imagens)

“Uma pessoa tem que ter amigos, estar com pessoas próximas e entes queridos. Nós geralmente sorrimos quando estamos acompanhados”.

Acabei de ler esta frase num periódico que fala sobre comportamento social. Parece-me que este assunto tem incomodado muita gente, pois como estamos sendo absorvidos pelos relacionamentos virtuais, os laços de compromissos afetivos estão se tornando cada vez mais frouxos.

Como seres humanos, não podemos utilizar a Internet como uma “droga” semelhante aos psicotrópicos, ou como um meio de fuga da nossa realidade. Quando perdemos o controle sobre o tempo que passamos grudados ao computador, nossa personalidade poderá ser distorcida, onde o mundo real não nos trará mais prazer algum. Essa fuga do real para o virtual acabará nos levando ao êxtase de uma alegria ilusória.

Sabemos que no mundo virtual vale tudo, ou quase tudo e que nem é necessário colocarmos máscaras para escondermos nossa personalidade e  estado de ânimo. Não temos o trabalho de disfarçar alguma atitude nossa em particular, a qual sabemos de antemão que poderá entristecer alguém.

As pressões sociais e as decepções acumuladas durante nossa vida, não são e nem podem ser utilizadas como justificativa para tentarmos compensar no campo virtual, a felicidade não encontrada no mundo real.

Encontramos internautas que acabam chegando ao extremo de enganarem seus amigos virtuais, através da mediocridade de uma máscara, e se divertem às custas de suas vítimas. Chegam a pensar que estão enganando e manipulando suas vítimas menos desavisadas, porém, estão enganando-se a si mesmos. O mundo virtual vai se mesclando sorrateiramente com o mundo real de tais pessoas, como num processo de osmose, e quando “acordam”, percebem que entraram num beco sem saída.

Para se conseguir voltar à realidade de forma sadia, e sem sofrimentos emocionais, devido aos períodos de abstinência de viver uma vida real e sem fantasias, somente buscando ajuda de profissionais da área comportamental.

O atual comportamento social está nos levando para a solidão, sendo que o ser humano não foi criado para isso. Mas nós podemos reverter essa situação, criando mecanismos que possam controlar nosso acesso ao mundo virtual. Nós temos um controle remoto em nossas mãos e não pode ser jogado fora; ele pode ser nossa tábua de salvação.

“Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas nem tudo edifica. Tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada me domine.” (I Coríntios 6:12 e 10:23 – da Bíblia NVI)

Sonia Valerio da Costa
25/04/2010

 

Pintura Em Estrada.

Assista a seguir, a sequência de fotos em power-point; são mesmo fantásticas. Vale a pena conferir.

Peinture_sur_route


Sonia Valerio da Costa
11/04/2010

Selos recebidos

 

Todos os Selos que este Blog recebeu, durante seu primeiro ano de existência, de Abril/2009 a Março/2010, coloco-os à disposição de todos os internautas que passarem por aqui.

 

 

“Este Blog é um Sonho” da amiga Leila Franca:

“PrêmioDardos” da amiga Isabel Ruiz:

“Blog Chic” da amiga Claudine:

“Mundo Melhor” da amiga Claudine:

“Este Blog é D+” da amiga Claudine:

“Este Blog é um Docinho” da amiga Vera:

“Cápsula do Tempo” da amiga Sereníssima:

“Uma Imagem Mil Palavras” da amiga Sereníssima:

“Mulher 2010” do amigo Valter Poeta:

“Este Blog Vale Ouro” do amigo Sérgio Cristino:

“Este Blog tem Glamour” da amiga Claudine:

“Blogueiro Noturno” do amigo Sérgio Cristino:

“Este Blog é uma Delícia” da amiga Rose Nakamura:

“Amizade Sem Fronteiras” da amiga Rosana:

Selos “Batalhão do Bem”

“Natal Presépio”

“Parabéns Mulher” da amiga Rose Sakamura:

“Feliz Páscoa com Jesus” da amiga Rosana:

“Blog Nota 10” da amiga Claudine:

Selos reunidos por Sonia Valerio da Costa
em 03/04/2010