Archive

Archive for junho \12\UTC 2009

Eu já fui semente…

wheat-4[1]Todas as vezes que Jesus proferia alguma palavra, eu me sentia como que sendo lançada de Sua boca; mas o interessante é que parecia que eu sempre continuava ali como antes. Quando o Mestre proferiu a Parábola do Semeador, então pude compreender que eu, enquanto semente, era a “própria Palavra de Deus”. Lembrei-me que o Apóstolo João já dissera “No princípio era o verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a Sua glória.” Jo. 1:1 e 14. Eu tinha vida em mim mesma, mas não tinha a mínima consciência do que isso significava.

De um modo geral, a semente que é lançada ao solo, terá basicamente, quatro destinos. Geralmente a maior parte cai em boa terra e produz muito fruto, mas muitas não tem a mesma sorte; sempre algumas acabam caindo na beira do caminho onde são pisadas e sendo improdutivas, servem de alimento para as aves. Algumas caem entre pedras e chegam até germinar, mas por falta de umidade acabam secando; outras ainda, caem entre espinhos e até germinam também, mas são sufocadas por eles. Assim que a semente recebe água e calor, absorve da boa terra os nutrientes necessários para germinar, crescer e reproduzir.

Um dia, junto com tantas outras sementes semelhantes a mim, fomos lançadas da boca do Mestre e então pude compreender o porque, dEle nos comparar com as sementes que são lançadas ao solo durante uma semeadura. Assim entramos em vários corações que já estavam umidecidos com a água purificadora do Espírito Santo. Então pude perceber que eu fazia parte do grupo que havia caído em boa terra; com toda liberdade fui conseguindo aprofundar-me até chegar entre a divisão da alma e do espírito daquelas pessoas que ouviam Jesus.

Nunca me esquecerei daquele lugar tão acolhedor que me envolveu com tanta receptividade e tão grande amor, que comecei a sentir-me viva. Algo dentro de mim começou a expandir-se até que aquela casca que me envolvia se rompeu e um pequeno broto surgiu, procurando os lugares mais seguros para enraizar-se e poder crescer com segurança. Assim consegui germinar, crescer e produzir muitos frutos, isto porque encontrei os itens necessários para minha sobrevivência e desenvolvimento.

Grande parte da multidão que seguia a Jesus, ouvia-o com tal atenção que a palavra proferida por Ele, limpava e umidecia a terra que ainda estava seca. Nesse ambiente cresci saudavelmente de forma tão entretecida dentro daquelas vidas que, em princípio, deram frutos de arrependimento e tiveram suas vidas transformadas salvas e libertas de toda opressão contrária à vontade divina.

Depois é que foram surgindo outros frutos: o amor, a alegria, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fé, a mansidão e a temperança. Fui percebendo que quanto mais as pessoas absorviam desses frutos que estavam sendo gerados dentro delas, mais elas ficavam tranquilas, em paz e sentindo maior segurança em suas atitudes.

Interessante que com o passar do tempo, essas mesmas pessoas que receberam a Palavra semeada por Jesus, passaram também a ser boas sementes como filhos do Reino; elas também foram enviadas pelas aldeias e cidades circunvizinhas, para semear em outras vidss as sementes produzidas pelos próprios frutos germinados dentro delas.

Se verdadeiramente somos filhos de Deus, somos sementes que precisam ser semeadas. Lembro-me agora quando Jesus disse que se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer dá muito fruto.

Alegrei-me em lembrar do meu passado como semente, pois agora estou num estágio de produzir frutos para alimentar outras vidas. Faço agora uma retrospectiva dessa minha experiência de semente, semeada em terra fértil dos corações humanos, que estavam sedentos de ouvir a Palavra de Deus, e entendo que valeu todo o sacrifício de “morrer”, germinar e produzir frutos, pois na vida tudo passa por semeadura e colheita.

O que estamos colhendo agora, é o que semeamos no passado. Se hoje estamos sofrendo pelo que semeamos, ainda há tempo para semearmos outro tipo de semente, para que ainda nesta vida, venhamos a colher frutos mais agradáveis. Receba hoje a semente que é a Palavra de Deus para que também passe a ser semeada como eu fui um dia quando saí da boca do Mestre.

Sonia Valerio da Costa
12/06/2009