Arquivo

Archive for abril \24\UTC 2009

E O SEGUNDO…

“E o segundo”. (Lucas 20:30)

 

ouro e prataEsse versículo ‘E o segundo’, sempre me trouxe inquietação, no sentido do ‘por quê’ tais palavras teriam sido destacadas para formarem mais um versículo bíblico.

 

Esse versículo não transmite uma significação completa em si mesmo; porém, dentro do contexto bíblico entendemos que, se a referência à iniciativa do segundo irmão em assumir a responsabilidade de suscitar descendência àquela família, foi destacada num versículo isolado dos demais, com certeza deve haver algum propósito específico a ser analisado quanto à posição de ser ‘segundo’. Que tão grande importância teria esse segundo irmão frente aos demais, que da mesma forma se propuseram a assumir a mesma função de suscitar descendência para o irmão primogênito?!

 

 Já tive a oportunidade de ocupar cargos de Chefia e de Diretoria em minha vida profissional e agora exercendo apenas a função de bibliotecária, me dei conta de quão importante é a atuação de um assessor, ou ‘de um segundo’. Assim, instintivamente pude encontrar uma significação que justificasse tal destaque para o versículo em questão.

 

Sabemos que o poder fascina e atrai com tanta intensidade e em todos os aspectos da vida do ser humano, que o homem procura galgar patamares cada vez mais elevados do conhecimento, a fim de estar devidamente capacitado a ocupar algum cargo de liderança.

 

Interessante que o Pr. e escritor Erivaldo de Jesus, em seu livro “Super Interessante: 500 curiosidades bíblicas”, p. 40 afirma que o numeral ordinal mais citado na Bíblia é o ‘segundo’, citado 1033 vezes; em segundo lugar vem o numeral ordinal ‘primeiro’, com 237 citações. A diferença do nº de citações é tão significativa, que até chegamos a pensar que realmente existe um propósito mais sublime, espiritualmente falando, a respeito da posição de ‘segundo’.

 

Para que esse versículo, objeto deste artigo, seja melhor compreendido, podemos dar-lhe diferentes significados, modificando apenas alguns sinais de pontuação; isto permitirá que compreendamos a diversidade de sentidos que uma frase pode assumir num mesmo contexto, sendo que todos eles são passíveis de aceitação.

 

Vejamos então: se acrescentássemos apenas um acento agudo no verbo “ser”, teríamos a seguinte frase “É o segundo”; se colocássemos um ponto de interrogação ao final dessa frase, teríamos “E o segundo?”; se colocássemos um ponto de exclamação, teríamos “E o segundo!”; finalmente, se colocássemos tanto o acento, quanto a pontuação, teríamos “É o segundo?”, ou então “É o segundo!”. Leia mais…

Anúncios

LIBERDADE VERDADEIRA

 “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” João 8:32 e 36

voo-noturnoUm dos temas mais discutidos neste novo milênio tem sido a liberdade de pensamento, de expressão e de idéias, e porque não dizer também da liberdade de filosofias e de religiões.  Desde sempre, o homem lutou para conseguir sua liberdade, tanto individual quanto coletiva.  É inerente ao ser humano, buscar sempre uma posição de liderança ou de controle sobre os que estão ao seu redor, para não ser apenas um subordinado; seu desejo é alcançar sua auto-suficiência tentando chegar ao mesmo patamar divino, pois acredita que, como detentor desse poder, poderá usufruir maior liberdade.  A prática mostra o contrário; quanto maior o poder de decisão e responsabilidade, menor a liberdade para fazer o que se quer ou o que se tem vontade.

Se refletirmos sobre essa expressão proferida por Jesus Cristo, “a verdade vos libertará”, com certeza, nossa resposta seria a mesma dada por seus discípulos: “nunca servimos a ninguém; como dizes tu: sereis livres?” (João 8:33).  Para os discípulos, o ser livre, só poderia estar relacionado à liberdade física de alguém que estivesse em prisão.

O próprio texto mostra que a “verdade” é o próprio Jesus Cristo; agora, quanto a “liberdade”, o que o Mestre estava querendo transmitir? O dicionário “Aurélio” nos oferece três explicações para a palavra “liberdade”: 1) poder de agir, no seio de uma sociedade organizada, segundo a própria determinação, dentro dos limites impostos por normas definidas; 2) faculdade de praticar tudo quanto não é proibido por lei; 3) liberdade não é libertinagem.  Quanto a “libertinagem” o mesmo dicionário define como sendo “devassidão, desregramento, licenciosidade”.

Os escribas e fariseus, contemporâneos de Jesus, já viviam esse tipo de liberdade definida gramaticalmente; tanto, que eram respeitados por todos dentro da sociedade em que viviam.  A qual libertação Jesus se referia, então?  Ele queria libertá-los, principalmente, da escravidão da religiosidade, mas naquele momento eles não conseguiram compreender a essência do discurso do Mestre.  Apenas praticavam a Lei de Moisés com um zelo extremo, pensando que com isso alcançariam a salvação; essa obsessão levou-os a perder a visão da verdadeira mensagem do Evangelho de Jesus Cristo, que já havia sido anunciada pelos profetas. Leia mais…

…E A ÁGUA LEVOU!

(Google Imagens)

Olhei ao meu redor e restava apenas o silêncio.  Um silêncio que incomodava mais do que as turbinas de um avião, quando está para decolar.

Meu olhar estava perdido na linha do horizonte buscando em vão por uma réstia de esperança de que aquele cenário não passava de um sonho; conscientemente, porém, compreendia que tudo era real.

Havia construído tantos sonhos e quando estava prestes a alcançá-los, tudo se desmoronara em questão de poucos minutos.

Agora o mar já estava em seu lugar habitual; suas ondas vinham empoladas e junto à praia perdiam totalmente a força assumindo uma constante serenidade.

Teria sido tudo aquilo um pesadelo?  Perguntas sem respostas povoavam minha mente em meio àquele quadro desolador.

Não havia nada mais que se pudesse fazer.  Então, lentamente, as explicações que justificavam tamanha tragédia, começaram a chegar. Começava a entender que como uma espécie de purificação espiritual, física e biológica, as águas não apenas haviam levado tudo; simplesmente haviam limpado uma região que precisava ser reconstruída, não somente reformada.

Lamentavelmente era necessário admitir que nem tudo que as águas haviam levado era passível de reconstrução; mesmo porque, vidas não poderiam ser devolvidas.

Mas então, o quê pôde ser recuperado para que pudesse ser reconstruído? 

Enquanto uns perderam suas casas, outros ficaram livres de alguma prisão social ou moral. Uns perderam seus pais e outros, seus filhos. Lares foram reconstruídos a partir da formação de novas famílias.

Uns perderam todo dinheiro, enquanto outros não tinham bens a perder; mas apesar da tragédia, não perderam a esperança. 

Hoje, passados dois anos, ao tomar conhecimento da ocorrência do mesmo tipo de tragédia, que tem acontecido em outras partes do mundo, me recordo dessas reflexões e começo a entender que minha vida precisava de uma mudança, só não sabia como isso poderia acontecer. Sobrevivi apesar de ter chegado a pensar que não teria forças para isso.

Aprendi lições existenciais que me levaram a banir todas minhas dúvidas quanto a  existência de Deus.

Antes eu não sabia o que era o verdadeiro amor, mas Deus me ensinou a exercê-lo. Antes eu ostentava um certo orgulho e tinha dificuldades para dividir e compartilhar; hoje entendo que a bênção da prosperidade só existe quando se entra no círculo ativo de dar e receber. Antes eu desconfiava das pessoas que tinham pensamentos diferentes dos meus; hoje vejo que o amor de Deus está acima de credos, religiões e comportamentos sociais. 

A água, como símbolo de purificação, leva tanto as coisas que estão nos prejudicando, quanto as coisas boas que ainda não nos encontramos em condições de recebê-las, ou tê-las.

Comecei a entender que quando a natureza se volta contra nós, é porque precisamos de um momento para refletirmos se, devido nossas atitudes e comportamentos, não nos encontramos tão longe de Deus, ou Ele tão longe de nós, que nem sequer poderá ouvir nosso grito de socorro?!!..

Você que está tão distante geograficamente, mas tão perto emocionalmente, o considero meu irmão. Hoje foi para você, que tudo desmoronou, mas Deus nosso Pai, que faz nascer o sol para todos está te dando a oportunidade de renascer e de crescer como ser humano. 

Em algum momento da nossa vida nos chega a oportunidade de recomeçar. Se chegou a sua hora, não desfaleça, levante-se, busque em Deus coragem para prosseguir, porque Ele nunca desamparou os que se dispõem a mudar para melhor.

Sonia Valerio da Costa
21/04/2009